Desafios da Educação

Decorreram ontem, dia 12 de Setembro, as segundas Jornadas da Educação do Agrupamento de Escolas Leal da Câmara de acordo com o tema “Desafios da Educação” expresso no programa anexo: jornadas pedagógicas.

.IMG_20160912_093201 (1).jpg

Após a sessão de abertura, que esteve a cargo do Presidente do Conselho Geral e do Diretor do Agrupamento, tal como do Diretor do CFAES, seguiu-se um primeiro painel sobre “Educação Especial e Adequações Curriculares Individuais”. A intervenção de Marta Vidal (Psicóloga, formadora e diretora da EducArte) centrou-se na resposta da escola às várias problemáticas abrangidas pelo Decreto 3 de 2008, designadamente as adequações curriculares. A oradora apresentou os diversos níveis de adequações, concluindo que só no caso extremo do CEI estas implicam a supressão de metas. Fundamentalmente, o importante é que o aluno cumpra o programa previsto para o seu nível de ensino, sendo-lhe oferecidas vias alternativas para o fazer, percursos de aprendizagem mais curtos ou mesmo equipamentos de apoio, conforme imagem abaixo, gentilmente cedida pela oradora.

20160912_101203

O segundo Painel, “Percursos de Diferenciação”, dinamizado pelas Professoras Manuela Guedes e  Ana Duarte, referenciou, através de uma experiência de docência, as diversas formas de envolvimento dos alunos de uma turma CEF, face às propostas do respetivo Conselho de Turma, demonstrando como a motivação dos alunos não é independente da motivação dos professores. Estes conseguem dinamizar atividades e aplicar metodologias mais adequadas aos públicos difíceis, aqueles para quem a escola se apresenta como um bloqueio do desenvolvimento e não o inverso.  De acordo com o depoimento de duas alunas dessa turma, a sua história pessoal ficou marcada pela experiência de trabalhar numa escola e numa sala de aula diferentes, proporcionadas no decurso da experiência.

A apresentação do Referencial de Educação para a Segurança, a Defesa e a Paz, pelo Professor Dr. João Paulo Duarte do Instituto de Defesa Nacional, mostrou a importância do documento para o trabalho das competências de  cidadania em sala de aula. Elaborado em parceria com o MEC, o referencial também apresenta a importância das Forças Armadas e demais agentes de segurança pública para a manutenção da paz e do desenvolvimento do país. O orador apresentou a latitude das novas fronteiras da Europa, bem como a movimentação da costa portuguesa, a dimensão das nossas águas territoriais e espaço aéreo, chamando a atenção para os perigos que esta situação geográfica envolve e para as distintas missões das Forças Armadas na manutenção da paz e do bem-estar das populações aquém e além fronteiras. O referencial está disponível para consulta na Biblioteca da Escola Secundária Leal da Câmara.

img_20160912_122031

Com o sugestivo título de “Sob o manto dos reis, pequenas histórias de grandes espiões portugueses” seguiu-se a intervenção de Florbela Garrett, do Serviço de Informações de Segurança. A oradora salientou a importância dos serviços de Intelligence na manutenção da segurança nacional e internacional, lembrando que já havia em Portugal agentes de informação ao serviço dos reis. Estas figuras, cujo papel tem sido injustamente esquecido ou sub-valorizado nos anais da nossa história, contribuíram para o progresso da nação e para o sucesso das mais diversas empresas comerciais e estratégicas, incluindo a dos Descobrimentos. Salientou ainda o carácter de serviço público da instituição a que pertence, cujos valores são essencialmente os da segurança do país e os interesses do povo português. A oradora lembrou a necessidade de elevar de novo a intervenção portuguesa no mundo e o orgulho de ser português, considerando o capital humano, a paisagem natural, o clima e a posição estratégica da geografia de Portugal. Salientando a importância dos professores na transmissão de valores e de ideias e na construção da paz, disponibilizou-se para colaborar em projetos de cidadania que a escola venha a promover.

A primeira parte das Jornadas terminou após uma fotografia de grupo, que não coube no átrio do Centro Paroquial. À tarde decorreram diversas oficinas, que abordaram temas tão diversos como a supervisão pedagógica, a diferenciação, a aprendizagem de alunos cegos e de baixa-visão, a aprendizagem baseada em jogos ou a importância da dança nas escolas.

Com organização dos Bibliotecários do Agrupamento, esta edição das Jornadas marca o início de um ano letivo cheio dos habituais desafios e constrangimentos, mas certamente pleno de oportunidades.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s